Afinal, existe uma fórmula para tornar os negócios incríveis?

No artigo anterior, defendi que Agilidade de Negócios é sobre como Business Owners podem tornar seus negócios incríveis. Fiz isso indo além da visão tradicional de produtos, processos e pessoas do pensamento ágil, ressignificando os dois primeiros princípios do Manifesto na perspectiva de negócios.

Concluí o raciocínio afirmando que um negócio incrível é aquele que gera resultados incríveis para todas as partes do ecossistema organizacional, promovendo experiências incríveis com pessoas, tecnologias e processos incríveis.

Neste artigo, darei continuidade ao racional que estou desenvolvendo sobre Agilidade de Negócios com a nossa Fórmula dos Negócios Incríveis. Ela é, literalmente, uma equação que criei com Mateus Piveta, meu sócio na SURYA e ABO Academy, para estimular em líderes e gestores de negócios a compreensão do que realmente é prioridade estratégica no contexto da Nova Economia Digital.

Mas qual o objetivo de formular matematicamente o que realmente importa para um líder de negócios quando o assunto é Agilidade de Negócios? Explicitar não somente os elementos mais críticos no pensamento estratégico da aceleração de negócios, como também a interdependência entre esses elementos. É isso que abordo neste artigo com a Fórmula dos Negócios Incríveis.

Se você é um líder ou gestor de negócios, até mesmo um especialista responsável por um programa de transformação ágil e/ou digital em sua empresa, espero que esta fórmula possa guiar suas próximas decisões e estimular um senso de urgência diante do potencial de crescimento de negócios no contexto da Nova Economia Digital. Mas, antes disso, vem a seguinte pergunta: Por que formular uma ideia utilizando uma equação?

Formulando Ideias com Equações

É muito comum vermos o termo fórmula sendo utilizado como uma forma padronizada de agir e se expressar para conquistar um objetivo. Um procedimento que leva ao sucesso ou fracasso num determinado contexto de negócio. Ou seja, um conjunto de passos que devemos seguir ou evitar a partir do que já foi feito e aprendido anteriormente.

Só que o termo fórmula também pode representar uma equação na matemática, uma declaração de que duas expressões são iguais. Por exemplo,

A = B + C

Uma terceira opção é juntar os dois conceitos para formularmos uma ideia na forma de equação. Este é um artifício antigo utilizado por especialistas para demonstrar como um elemento maior pode ser decomposto em elementos menores, indicando as relações de interdependência entre os mesmos. Neste caso, o objetivo é utilizar as constantes, as variáveis e suas relações para passar algum ensinamento qualquer.

Vou apresentar três exemplos desta técnica para demonstrar como algumas fórmulas são capazes de estimular a compreensão de uma ideia e da natureza de seus elementos essenciais.

1) A Fórmula do Sucesso

A Fórmula: As cinco leis científicas que explicam as causas do sucesso (The Formula: The Universal Laws of Sucess, do original em inglês) é um livro escrito pelo físico e cientista Albert-László Barabási, um dos maiores especialistas mundiais em Teoria das Redes, que propõe a seguinte fórmula para o sucesso:

S = Q x r

Para ele, o sucesso (S) de uma pessoa resulta do valor de suas ideias (r) multiplicado pela capacidade de execução das mesmas (Q). Faz sentido para você? O que você acha de pensar que o nosso sucesso tem relação direta com a genialidade de nossas ideias e a nossa incrível capacidade de execução? Talvez falte uma pitada de sorte nesta equação! 😉

2) The Dude’s Law (A Fórmula do Valor)

Dude era o apelido do saudoso David Hussman, um grande cara com uma grande mente e um grande coração. Infelizmente, foi vencido por um câncer pulmonar no dia 18 de agosto de 2018. Ele tinha esse apelido pela grande semelhança com o personagem de mesmo apelido interpretado por Jeff Bridges no filme O Grande Lebowski (1998).

Pois bem, eu tive a grata satisfação de sentar com ele num café aqui em Porto Alegre em 2009, cidade onde vivo no sul do Brasil, para ouvi-lo explicar a sua fórmula do valor, a Lei de Dude:

V = W / H

David dizia que buscava uma representação matemática tão simples quanto a Lei de Ohm (R = V / I) para explicar para o mundo ágil que Valor (V) tem uma relação direta com o Porquê (Why) fazemos o que fazemos e indireta com o Como (How) fazemos.

Ou seja, problemas de grande relevância que demandam pouco esforço na execução (simplicidade) têm muito mais valor que problemas de baixa relevância que demandam grande esforço na execução (complexidade). E olha que é comum vermos equipes se perdendo em discussões infindáveis sobre como atenderão suas demandas sem saber porque elas precisam ser feitas!

O que você achou dessa grande sacada do querido Dude?

3) A Fórmula da Amizade

Jack Schafer, ex-agente especial para o Programa de Análise Comportamental da Divisão de Segurança Nacional do FBI, conta em seu livro Manual de Persuasão do FBI que cientistas norte-americanos são recrutados pelos chineses com uma técnica chamada Fórmula da Amizade:

Amizade = Proximidade + Frequência + Duração + Intensidade

Schafer aprendeu em suas atividades no FBI que é possível acelerarmos o desenvolvimento de uma amizade com qualquer pessoa se trabalharmos corretamente as seguintes variáveis no relacionamento: a) a nossa proximidade e também a exposição perante o outro, b) a frequência e c) a duração dos contatos que fazemos com o outro indivíduo, e d) a intensidade de cada um desses contatos (satisfação das necessidades psicológicas e/ou físicas da outra pessoa, seja por comportamentos verbais ou não verbais).

O que você achou desta fórmula? Para mim, é um jeito racional de explicar a técnica de Rapport, uma das principais técnicas de persuasão da PNL.


Mas o que tudo isso tem a ver com Agilidade de Negócios ou com tornar um negócio incrível? A liberdade para criarmos a nossa própria Fórmula dos Negócios Incríveis! Veja a lógica que utilizamos para construir a equação.

Construindo a Fórmula dos Negócios Incríveis

Para um Engenheiro Eletrônico (minha formação acadêmica), modelar sistemas complexos com equações lineares e não lineares é algo natural durante a sua formação profissional. Porém, estamos falando de organizações empresariais, sistemas dinâmicos complexos cujos comportamentos e resultados dependem diretamente das crenças e valores de sua alta gestão e da natureza cada vez mais VUCA e digital do mundo em que vivemos.

Não sou tão pretencioso a ponto de tentar formular toda essa complexidade das organizações numa única equação. Tampouco acredito que seja possível simplificar os fatores críticos de um negócio incrível numa simples equação linear. Porém, já sabíamos que nossa fórmula dos negócios incríveis deveria ser construída a partir da seguinte premissa que construí no artigo Agilidade de Negócios é sobre como Business Owners podem tornar seus negócios incríveis:

Um negócio incrível é aquele que entrega resultados e experiências incríveis para todas as partes de seu ecossistema organizacional, fazendo isso com pessoas, processos e tecnologias incríveis.

Para nós da ABO Academy, tornar um negócio incrível se tornou o mantra dos Agile Business Owners, um papel de gestão e liderança que busca desenvolver novas capacidades organizacionais (pessoas, processos e tecnologias) com o objetivo de alavancar os resultados de negócio e impactar positivamente seus clientes e demais partes interessadas (experiências).

Mas e os produtos e serviços? Não fazem parte desta lista de fatores críticos de sucesso de um negócio incrível? Pense que todo produto é resultado de um serviço, e que o valor dos mesmos é avaliado pelo impacto positivo que geram na vida de seus consumidores e demais partes interessadas. Portanto, eles são meios para a conquista de resultados e experiências na perspectiva de negócios. Se os mesmos não estão dando os resultados esperados, podemos atualizá-los, substituí-los ou até mesmo descontinuá-los. Você seria capaz de descontinuar o próprio negócio? Talvez, mas como Business Owner você realmente descontinuaria um produto.

Voltando à Fórmula dos Negócios Incríveis, combinamos numa única equação os fatores críticos de sucesso que tornam um negócio incrível segundo a nossa premissa acima:

Onde:

  • Ri representa os resultados incríveis do negócio (crescimento exponencial sustentável),
  • ∆t  representa os processos incríveis que aceleram o crescimento (capacidades organizacionais),
  • Ti representa as tecnologias incríveis que habilitam a aceleração (recursos),
  • Pi representa as pessoas incríveis que viabilizam a evolução organizacional (talentos), e
  • Ei representa as experiências incríveis que engajam as pessoas (cultura organizacional).

Precisamos ter em mente que todo negócio deve gerar resultados positivos para ser sustentável e impactar positivamente todo ecossistema organizacional. Ou seja, quanto mais incríveis forem os resultados, nas perspectivas financeira, do cliente, do mercado e da sociedade, mais incrível será o negócio. Só que não basta desejarmos um crescimento exponencial sustentável sem trabalharmos no desenvolvimento das capacidades organizacionais que irão alavancar esses resultados. Eis que surgem as demais variáveis da equação.

O crescimento exponencial é resultado de uma taxa de aceleração constante (e até mesmo acelerada) decorrente do aumento direto do resultado final ou da antecipação de sua conquista. Isto é, podemos acelerar o crescimento de uma empresa desenvolvendo continuamente novas capacidades organizacionais que aumentem a eficiência, a eficácia, os níveis de compliance, a geração de oportunidades e a mitigação de riscos. Um negócio incrível tem processos incríveis que reduzem o lead time (Δt) da entrega de valor e do retorno de investimento realizado em cada nova capacidade organizacional, motivo pelo qual está no denominador da equação. Quanto menor o lead time, mais incrível é o negócio.

No contexto da Nova Economia Digital, contamos com tecnologias que habilitam a aceleração dos negócios por meio de uma abundância de oportunidades e de recursos que suportam as novas capacidades organizacionais. Esta variável tem uma relação direta com os resultados de negócio se, e somente se, tornarem incríveis tanto os processos quanto as partes interessadas. Quanto mais incríveis foram as tecnologias utilizadas pela empresa para agregar valor e atenuar os desperdícios do ecossistema organizacional, mais incrível é o negócio.

Nossa quarta variável, que também tem relação direta com os resultados de negócio, é a de pessoas. Negócios incríveis atraem, desenvolvem e engajam pessoas incríveis (talentos) pelo propósito transformador, pela oportunidade de desenvolvimento profissional (maestria) e também pela autonomia de aplicar a maestria na realização do propósito. Em resumo, sem pessoas incríveis não há negócio incrível.

Por fim, e para concluir o racional da Fórmula dos Negócios Incríveis, pense que não basta contratar e desenvolver talentos para otimizar processos com tecnologias que alavancam os resultados do negócio (a essência de uma transformação Ágil-Digital sem um contexto maior para a mudança). Precisamos estimular o desenvolvimento de uma cultura que sustente uma experiência incrível em todas as partes do ecossistema organizacional. Uma experiência incrível é capaz de potencializar nossas capacidades de crescimento e alavancar nossos resultados pelo senso de pertencimento, propriedade e responsabilidade em todos os membros da organização, sendo colocada no expoente da equação.


O que você achou deste racional? Fez algum sentido diante dos modelos de gestão e liderança que você vem praticando há anos? Antes de seguir para o próximo tópico, vou deixar mais algumas provocações para você:

  1. Quantos líderes e gestores realmente atuam com foco em resultados de negócio? Lembrando sempre que esses resultados vão além da perspectiva financeira, contemplando também resultados nas perspectivas dos clientes, mercado e sociedade.
  2. Quantos líderes e gestores priorizam sua estratégia de crescimento a partir das capacidades organizacionais que irão viabilizar os resultados, ao invés de ficarem somente demandando a aquisição ou desenvolvimento de recursos?
  3. Quantas novas tecnologias implantadas realmente habilitaram a aceleração do crescimento empresarial?
  4. Quantos talentos são atraídos e desenvolvidos a partir de um conjunto de crenças e valores que estimulam um propósito transformador e busca incessante da maestria profissional e da autonomia para melhoria contínua e inovação?
  5. Por fim, quantos líderes e gestores estão preparados para suportar um ambiente psicologicamente seguro que promove experiências incríveis em todos os aspectos da organização?

Pois bem, se você acredita que os itens acima são capazes de tornar a Agilidade de Negócios uma realidade nas organizações, vou apresentar como esta equação pode ser colocada em prática hoje mesmo. Se não acredita, talvez o meu discurso não seja para você ou para a empresa em que você atua.

A Fórmula na Prática: O Fator de Aceleração

Gostaríamos de ver nossa Fórmula dos Negócios Incríveis se espalhando pelo mundo. Mas digo isso não pelo desejo de nos tornarmos famosos em demonstrar que Agilidade de Negócios é sobre como tornar os negócios incríveis. Mas sim por estimular a mudança do mindset da alta gestão empresarial e dos demais líderes de negócios sobre o que realmente importa numa estratégia de aceleração de negócio.

Nesta última seção, convido você para mais um momento de análise onde proponho a forma canônica (mais simples) da Fórmula dos Negócios Incríveis:

Negócio Incrível = Ri x Fa

Onde:

  • Ri representa os resultados incríveis gerados pelo negócio (crescimento exponencial) e
  • Fa representa o fator de aceleração do crescimento empresarial (crescimento sustentável).

Você se lembra da Fórmula do Sucesso de Barabási? Pois é, esta versão tem a mesma estrutura, só que agora não estamos falando das ideia geniais do indivíduo mas sim dos resultados incríveis da organização. Também não estamos falando da capacidade de execução do indivíduo, mas sim da capacidade de aceleração do crescimento (que também é execução) da organização.

O que você achou desta simplificação da fórmula? Com este novo Fator de Aceleração, posso até dar a liberdade para você discordar dos elementos que propomos anteriormente como aceleradores do crescimento (processos, tecnologias, pessoas e experiências incríveis), propondo outros elementos que façam mais sentido para o contexto de sua organização.

Mas tenha sempre em mente que os novos elementos precisam continuar acelerando o crescimento e o impacto positivo do negócio em todo ecossistema organizacional. Do contrário, o estado futuro desejado para a sua empresa não é o de um negócio incrível da Nova Economia Digital.

Selecionei algumas dicas para você colocar em prática os nossos elementos da fórmula em sua empresa:

a) Resultados Incríveis (“Tiros na Lua”)

Qual a ordem de grandeza dos resultados desejados para a sua empresa num horizonte de até 5 anos? Estão contemplados nesses resultados as perspectivas financeira, do cliente, do mercado e da sociedade? Você é capaz de demonstrar o crescimento exponencial em um ou mais indicadores de desempenho dessas perspectivas?

Achamos que é injustificável sustentar programas de transformação Ágil e Digital, e ainda por cima falar em Agilidade de Negócios, sem almejar um crescimento exponencial na perspectiva de negócios. Na próxima revisão do planejamento estratégico de sua empresa, pense nas metas ambiciosas (os “tiros na Lua” do método OKR) que irão demandar o desenvolvimento de novas capacidades organizacionais para atingir um patamar muito superior ao que sua empresa se encontra hoje em dia.

b) Processos Incríveis (Pensamento Enxuto)

Defendi anteriormente que são os processos organizacionais que definem a capacidade de nossa empresa entregar valor de forma contínua, respondendo rapidamente às demandas dos clientes e adaptando-se às mudanças de mercado. O primeiro estágio da evolução em direção à Agilidade de Negócios deve focar na experimentação e aprendizagem de novas formas de entregar valor e reduzir os desperdícios.

Processos incríveis resultam da prática disciplinada do Pensamento Enxuto (Lean Thinking) em todos os aspectos da organização. Essa forma de pensar inicia pela otimização dos diferentes fluxos de valor da empresa e evolui para a garantia de seu fluxo contínuo, desde a concepção ou demanda, até a entrega e confirmação do valor.

Só que recomendamos que esse raciocínio também seja levado para a gestão do portfólio de projetos estratégicos da empresa (Lean Portfolio Management), tratando os programas de desenvolvimento de capacidades organizacionais como uma carteira de investimentos. Com esta forma de pensar, a alta gestão se obrigada a balancear as prioridades e a alocar os recursos nos projetos de forma mais objetiva, sendo coerente com a própria estratégia.

c) Tecnologias Incríveis (Organizações Exponenciais)

A terceira variável da nossa equação está associada às tecnologias incríveis das Organizações Exponenciais (Exponential Thinking). Afinal, processos incríveis precisam de tecnologias incríveis para suportá-los, escalando as operações e criando novas oportunidades de negócios no contexto da Nova Economia Digital.

Para alavancarmos o crescimento dos negócios, precisamos investir em tecnologias exponenciais como Plataformas Digitais, Redes Sociais, Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Blockchain, entre muitas outras. Não basta pensarmos no uso de tecnologias somente como soluções para problemas de eficiência e eficácia dos processos operacionais. Precisamos pensar no uso da tecnologia como catalisadora de novas oportunidades e até mesmo de inovação para o modelo de negócio. É por esta razão que os programas de Transformação Digital precisam ser menos sobre ferramentas e mais sobre transformação cultural (pessoas) associada à inovação digital (negócios).

d) Pessoas Incríveis (Pensamento Ágil)

A quarta variável da nossa equação está associada ao princípio do Modern Agile de “tornar as pessoas incríveis”, em todos os aspectos da organização (partes interessadas). Queremos enfatizar para a alta gestão que, para viabilizarmos os resultados incríveis tão almejados pelas empresas, precisamos de pessoas incríveis atuando como líderes, gestores, colaboradores e parceiros de negócios. Afinal, não é difícil de concordar que são as mentes brilhantes (talentos) que irão compreender e solucionar os verdadeiros problemas de uma organização.

Cada vez mais, atraímos pessoas incríveis pelo propósito transformador, encantamos pela oportunidade de desenvolvimento de maestria, e engajamos pela autonomia na experimentação e aprendizagem de novos produtos e serviços para acelerar o crescimento do nosso negócio. É por esta razão que recomendamos que a estratégia de aceleração dos programas de Agilidade de Negócios contemple, de forma explícita, um objetivo relacionado à gestão de talentos (atrair, desenvolver e liderar).

e) Experiências Incríveis

Por fim, a quinta variável da nossa equação está associada com a busca incessante do encantamento de todas as partes interessadas, indo além do princípio do modelo Modern Agile de “tornar a segurança (psicológica) um pré-requisito”. É importante compreender que não basta termos pessoas incríveis, tecnologias incríveis, processos incríveis e até mesmo resultados incríveis se a cultura organizacional é a causa das experiências tóxicas de clientes, colaboradores e demais partes interessadas.

Precisamos ser obcecados pelos clientes, como propôs Jeff Bezos nos Princípios de Liderança da Amazon, mas também termos consciência da percepção de valor das demais partes interessadas. Só assim seremos coerentes no design das experiências que pretendemos entregar e consistentes na entrega. Lembre-se sempre de que são as experiências que exponencializam nossos resultados.

PARA PENSAR

O discurso da Agilidade de Negócios está cada vez mais presente nas grandes empresas de base tecnológica e nas grandes empresas de consultoria que pretendem “surfar na terceira onda” do movimento ágil no mundo corporativo. O problema é que a maioria continua focando mais em pessoas, processos e produtos (primeira onda) do que no negócio em si (terceira onda). Isso sem contar com aquelas que focam na Agilidade em Escala (segunda onda) como sinônimo de Agilidade de Negócios (ela não garante a aceleração do crescimento dos resultados, mas com certeza garante a aceleração do crescimentos dos custos operacionais).

Queremos atingir a alta gestão nesta terceira onda do pensamento ágil com um verdadeiro mindset de negócios, o da Business Driven Transformation. Para isso, precisamos conscientizar líderes e gestores de que Agilidade de Negócios é sobre como tornamos nossos negócios incríveis e fazemos isso com os elementos de nossa fórmula. Se o crescimento exponencial é realmente desejado pela alta gestão, as variáveis do nosso Fator de Aceleração devem ser consideradas como objetivos estratégicos prioritários da empresa.

Independente dos métodos ou frameworks que sua empresa irá utilizar, as abordagens Lean, Ágil e Exponencial são a tríade da base metodológica que você deverá estimular no processo de transformação organizacional. Só que essas abordagens precisam ser traduzidas para a perspectiva de negócios a fim de torná-las efetivas numa Business Driven Transformation.

Por fim, recomendamos o desenvolvimento das Competências Essenciais da Agile Business Ownership em todos os líderes e gestores de negócios a fim de torná-los as primeiras pessoas incríveis que irão catalisar a evolução organizacional.


Se você gostou desse conteúdo e deseja utilizar a Fórmula dos Negócios Incríveis em palestras, cursos e artigos, fique à vontade! Só não se esqueça de referenciar este artigo como fonte de referência e marcar a ABO Academy em seus posts nas redes sociais.

Um dos precursores dos Métodos Ágeis (2002) no Brasil, foi pioneiro na sistematização do papel de Business Owner como catalisador da Business Agility nas empresas (modelo apresentado na Agile Conference 2019, Washington, USA). CEO da SURYA Consulting e fundador da ABO Academy, a primeira academia no mundo especializada no desenvolvimento profissional de Agile Business Owners, atua como autor, consultor, mentor, professor e palestrante no nível executivo de grandes empresas. Autor do Guia de Referência do Agile Business Owner e dos modelos Business Agility Getting Real™ e Agile Business Ownership™. É coautor da Agile Extension to the Business Analysis Body of Knowledge (IIBA/Agile Alliance, 2012) e colaborador no Introduction to Product Ownership Analysis (IIBA, 2020). Criador do canal Lean Business Analysis Brazil no YouTube. É professor em diversos programas de MBA na PUCRS.

Artigos Relacionados

Comentários