Agilidade de Negócios: uma jornada sem um mapa

Agilidade de Negócios

Empresas ao redor do mundo, têm investido esforços na jornada em direção à Agilidade de Negócios. Motivadas pela sensação de poder realizar o impossível e se adaptar rapidamente às mudanças de mercado.


A nova economia digital e suas promessas

Imagine em um curto espaço de tempo, novas ideias serem capazes de revolucionar mercados inteiros? A economia digital fez surgir empresas capazes de atingirem um valor de mercado na casa dos bilhões de dólares, recebendo a etiqueta de “unicórnio”. Inúmeros cases se tornaram populares e diversas fórmulas surgiram, seduzindo aspirantes ao sucesso. Essa disseminação em massa das conquistas de empresas como Spotfy, Amazon, Uber, AirBnb, entre outros, fez com que muitos gestores aprimorassem o vocabulário da nova economia digital, mas nem todos mudaram seu modelo mental, uma herança da economia clássica do século passado.

Paralelo a isso, o avanço tecnológico tornou mais acessíveis e sedutoras ferramentas digitais, o que aumentou a certeza que o impossível já pode ser feito. Os limites territoriais já haviam sido desintegrados com a popularização da internet e agora, com a facilidade de acesso à novas tecnologias, fez com que mais empreendedores se sentirem convidados para transformarem seus negócios.

Quando a Agilidade encontra o Negócio

A sensação de poder transformar negócios com mais velocidade parece ter aproximado “Agilidade” com “Negócios”. Na verdade, já estava na hora da agilidade mostrar seu valor nas esferas mais estratégia das organizações. O que desvirtua essa união é que, instintivamente, muitos gestores pouco familiarizados com “Agilidade de Negócios”, acreditam que ao adotar uma determinada ferramenta ou seguir um determinado “modelo” é suficiente para acelerar os resultados de sua empresa.

Para acelerar resultados de negócio, diante da nova economia digital, existe uma necessidade das empresas se adaptarem rapidamente às mudanças e responderem de forma flexível às demandas de seus clientes, uma definição bastante popular do que é Agilidade de Negócios. Avançando nesse tema, a adaptação passa a ser uma necessidade essencial nos dias atuais.

Essa urgência deu poder a diversos “frameworks” e métodos, que se popularizaram e ganharam fama no mundo corporativo. Inúmeras empresas de consultoria e profissionais se tornaram especialistas, quase que da noite para o dia, em temas como “transformação digital” e “jornada ágil”.

O encontro entre agilidade e negócios revelou a falta de um líder com a capacidade de conduzir esse processo diante dos desafios da nova economia digital. Um líder que domine os pensamentos lean, ágil e exponencial e seja visionário, evolucionário e com foco em resultados sem deixar de lado pessoas.

O Líder de negócios diante de uma jornada chamada Business Agility

Fazendo uma analogia, quando nos deparamos com modelos e frameworks, podemos compará-los a mapas, que servem para mostrar o caminho. Imaginando que o mapa em questão é um guia para o topo de uma grande montanha, podemos partir do pressuposto de que, o mapa, deve possuir a melhor ou mais recomendada trilha a ser seguida, ou seja, o passo a passo. É exatamente isso que está acontecendo em diversas organizações, muitos gestores entregam esses “mapas” para os times e descarregam a missão de guiar a organização em uma expedição complexa e arriscada. Sabemos que isso não funciona para alpinistas (seguindo nosso analogia) e também não tem funcionado para o mundo corporativo.

Seguindo por essa vertente, nos dois casos você precisa ter horas de estudo e horas de prática. Dificilmente, para não dizer nunca, amadores chegam ao topo das maiores e mais desafiadores montanhas do mundo. Como dificilmente você conquista a Agilidade de Negócios sem líderes de negócios preparados para a jornada. Sendo assim, podemos afirmar que Agilidade de Negócios não é o topo da montanha. Seguindo nossa analogia, ela é a jornada, é o caminho e não o destino.

Portanto, achar que um mapa irá mostrar onde você encontrará a agilidade, é um grande erro estratégico para sua empresa. Para ajudar você, podemos apresentar os 5 elementos, que conseguimos identificar nos mais de 10 anos estudando empresas que obtiveram sucesso e que farão parte, com toda certeza, da sua jornada:

  • Liderança: Devemos preparar os líderes dessa expedição. Os pensamentos Lean, Ágil e Exponencial devem fazer parte do seu “equipamento básico” para uma jornada como essa.
  • Estratégia: O objetivo é o topo e devemos ter claro de onde partimos e como vamos avançar de forma exponencial. Podemos inovar pelo caminho?
  • Portfólio: O que carregamos, quais nossos recursos. A escolha dos recursos é o segredo de sucesso da expedição. Escolher muitos pode deixar você lento, de menos, pode fazer falta. Precisamos do pensamento enxuto para evitar o desperdício e focar no que irá gerar mais valor.
  • Governança: Cadência na subida. Todos do time devem saber dos seus papéis e responsabilidades, fomentar a cooperação, colaboração e transparência é fundamental para um ambiente seguro surgir.
  • Execução: Disciplina e melhoria continua. Cada etapa deve ser melhor que a anterior e gerar um aprendizado para a próxima.

Conclusão

Mapas ajudam, são ferramentas e recursos valiosos, desde que bem utilizados. Agilidade de Negócios não é a simples junção de métodos ágeis com negócios. E para que a verdadeira Agilidade de Negócios exista precisamos desenvolver líderes de negócios. Caso contrário, estaremos parados no mesmo lugar mas diante da infinita busca pelo mapa perfeito.


Quer saber mais sobre Business Owner, sobre a nossa abordagem Agile Business Owner, para esse papel como agente de mudança? Seja um membro da ABO Academy e tenha acesso a mais artigos e notícias, além de poder conferir nossa agenda de eventos e poder participar de cursos com descontos especiais e exclusivos para membros.

Related Articles

Respostas